Vigilância Escolar Armada começa a atuar nas unidades da Rede Municipal de Ensino de Itajaí

0
165

O serviço de Vigilância Escolar Armada começou a atuar nas unidades da Rede Municipal de Ensino de Itajaí na tarde da última sexta-feira (07). Os profissionais irão reforçar a segurança de escolas de nível fundamental, Centros de Educação Infantil (CEIs) e Centros de Educação em Tempo Integral (CEDINs). Pela manhã, os vigilantes participaram de um encontro técnico de integração e após foram encaminhados às unidades de ensino.

“É um novo momento que se inicia em nossa cidade. Realizamos todos os procedimentos para iniciar o serviço de vigilância armada em nossas unidades, da educação infantil ao ensino fundamental, proporcionando mais segurança para toda a comunidade escolar. Estes vigilantes serão o batalhão do bem, que vai cuidar das nossas crianças em uma missão muito nobre”, destacou o prefeito Volnei Morastoni para os novos guardas.

Ao todo, 245 profissionais da empresa Orbenk, vencedora da licitação, atuarão na Vigilância Escolar Armada em Itajaí. O contrato prevê 120 profissionais para o período matutino, 120 para o vespertino e cinco vigilantes para o período noturno.

O serviço já começou em 45 unidades escolares e a empresa responsável aguarda a liberação das demais autorizações, por parte da Polícia Federal, para transporte de armamento. A expectativa é que ao longo da semana mais unidades tenham vigilantes armados e até o fim do mês todas as escolas e creches da cidade estejam guarnecidas.

“O Município realizou todos os procedimentos para contratação do serviço especializado em segurança armada e, nesta sexta, a empresa nos informou que terá que iniciar os procedimentos gradualmente por conta da liberação das autorizações emitidas pela Polícia Federal”, informou a secretária de Educação, Elisete Furtado Cardoso.

Mais segurança e tranquilidade

O início da Vigilância Escolar Armada atende à reivindicação da população por mais segurança e está alinhada a outras ações já adotadas pela Administração Municipal. “Para nós, enquanto diretoras das unidades, é mais uma garantia de segurança para toda a comunidade escolar. Estamos com a expectativa bem grande para mais esse serviço que está sendo oportunizado”, destacou a diretora do CEI Adélia Russi, Karoline Roncelli.

No primeiro dia de implantação, a medida já trouxe maior sensação de segurança para funcionários, professores, estudantes, pais e responsáveis. “Esse novo serviço vai nos dar mais tranquilidade para trabalhar, na certeza de que o nosso bem mais precioso está bem guardado e seguro dentro da escola”, garantiu o pai do aluno Benício, Fábio Bovi.

Desde o ocorrido em uma unidade de educação infantil de Blumenau, o Município de Itajaí imediatamente passou a adotar uma série de medidas, como o botão Alerta Escola, a intensificação das rondas pelas unidades de ensino e a avaliação de risco dos espaços, com os projetos para ampliação de muros e reforço das grades. Também seguem em desenvolvimento iniciativas que trabalham aspectos socioemocionais com os estudantes e professores, como o Programa de Educação Socioemocional, bem como ações que promovem a cultura da paz.

“Já estou me sentindo bem mais segura com a presença do vigilante na minha escola. Assim, eu fico mais tranquila para conseguir estudar”, diz a estudante Tainá Inês Leite Dalabona. “Minha mãe fica mais tranquila sabendo que estou num ambiente ainda mais seguro e eu também fico mais feliz”, complementa a aluna Ágata dos Santos Leutez.

Vigilantes farão controle da entrada e saída de pessoas

Entre as atribuições da Vigilância Escolar Armada estão: manter sob segurança e controle a entrada e a saída de pessoas nas unidades de ensino, realizar rondas na área sob segurança, encaminhar à recepção pessoas estranhas ao convívio da unidade e identificá-las, impedir a entrada de pessoas não autorizadas, atentar para quaisquer atitudes suspeitas na entrada e saída de pessoas, funcionários e alunos e comunicar aos órgãos responsáveis.

Além disso, o contrato prevê que os vigilantes adotem todos os cuidados e precauções indispensáveis ao manuseio de armamento e formação em vigilância armada credenciada por uma unidade da Polícia Federal, bem como uma série de critérios que comprovem sua capacidade para atuar em unidades de ensino. Essas especificações reforçam o compromisso do Município com a segurança de toda comunidade escolar.

A estimativa de custos mensais com a Vigilância Escolar Armada é de R$ 930.750,00. O contrato inicial terá vigência de 12 meses, com valor total de R$ 11.169.000,00.

Artigo anteriorBistek Supermercados terá três novas lojas no Rio Grande do Sul no segundo semestre
Próximo artigo‘Filmava cenas com menores’: condenado por estupro de vulnerável é preso em Porto Belo