SC terá primavera oposta à dos anos anteriores, apontam meteorologistas

0
157

A primavera de 2023, que começou neste sábado (23), será oposta ao que foi a estação em 2022 e em anos anteriores em Santa Catarina, indicam as previsões meteorológicas. Enquanto a estação das flores teve frio, chuva abaixo da média no ano passado e até episódios de neve, a primavera deste ano promete ser de muito calor e fortes temporais.

A razão do contraste entre os anos é o fenômeno climático-oceânico que rege a estação: o La Niña, que influenciou a primavera a partir de 2020, deu lugar ao El Niño em março de 2023. Enquanto o primeiro derrubou as temperaturas, o segundo agora provoca o efeito oposto.

O El Niño atua desde junho de 2023 e ocorre em razão do aquecimento da temperatura do oceano, que  oscila entre 1,1°C e 1,6ºC acima da média e dá as condições para o calor intenso e as chuvas no Estado, de acordo o INMET (Instituto Nacional de Meteorologia).

O fenômeno deve se intensificar nos próximos meses, alcançando a categoria de classificação forte e persistir até março de 2023, aponta o APCC (APEC Climate Center), centro de pesquisa sediado na Coréia do Sul.

Chuvas mais intensas no Oeste

Para esta primavera a previsão é de chuva acima da média climatológica em toda a região Sul, alerta o INMET. Os acumulados devem ser maiores especialmente nas regiões do Meio-oeste, Extremo Oeste e Oeste de Santa Catarina – justo as regiões marcadas pela estiagem nos anos anteriores.

“Em setembro os totais de chuva variam de 150 a 210 mm no Extremo Oeste, Oeste e Meio Oeste e de 110 a 170 mm nas demais regiões. Em outubro os volumes de chuva são os mais elevados do trimestre e variam de 210 a 280 mm no Extremo Oeste, Oeste e Meio-Oeste e de 140 a 180 mm nas demais regiões”, pontua a Epagri.

As precipitações devem amenizar um pouco em novembro, mas ainda permanecem intensas. Os acumulados totais em toda Santa Catarina devem oscilar entre 130 a 180 mm, aponta a previsão da Epagri.

Primavera começa com cara de verão

As primeiras semanas serão de altas temperaturas na maior parte do Estado. Apesar de ainda ter chance de episódios de frio, com temperatura próxima ou abaixo de 0°C, a previsão é de elevação. Para os próximos meses são esperados dias consecutivos de temperatura acima de 30ºC.

“Setembro está sendo bastante quente por conta de uma extensa onda de calor, com quebra de recordes. Mas essa onda de calor perderá aos poucos a força, na medida que frentes frias vão rompendo essa extensa onda de ar quente”, explica o meteorologista Piter Scheuer.

Para o próximo dia 26 as temperaturas devem amenizar em razão da passagem de uma frente fria. Períodos quentes e frios devem se intercalar na estação. “Os meses de outubro, novembro e dezembro serão de chuvas próximas ou acima da média. É provável que em outubro e novembro as chuvas serão maiores”, pontua Scheuer.

O meteorologista não descarta a chance de temporais, tempo severa e episódios de tornados, microexplosões e vendavais nos próximos meses. O aumento das chuvas nesta época do ano favorece o início do plantio das principais culturas de verão.

Artigo anteriorPorto Belo assina convênio para receber estrutura do SESC Saúde da Mulher
Próximo artigoCâmara de Itapema promove a 1ª Semana de Mobilização à Doação de Órgãos