SC foi o segundo Estado com mais mortes em rodovias federais em 2022; veja números

0
185

Segundo dados da PRF (Polícia Rodoviária Federal), Santa Catarina soma o segundo maior número de óbitos e acidentes de trânsito em 2022, ficando atrás apenas de Minas Gerais. As estradas catarinenses registraram 350 mortes em rodovias federais no ano passado, o menor número dos últimos 27 anos.

Conforme dados divulgados pela PRF, o número de mortes caiu 1,9% de 2021 para 2022 nas rodovias catarinenses.  Além disso, houve redução equivalente a 304 acidentes e 263 pessoas feridas a menos no Estado durante o período.

A BR-101 foi a rodovia com o maior número de acidentes no ano passado, com 3.915 ocorrências,  seguida pela BR-470, com 1.152.

Dados de acidentes de trânsito no Brasil

No cenário nacional, as rodovias federais brasileiras registraram uma morte a cada duas horas em 2022. De acordo com a PRF, 5.426 pessoas perderam a vida em ocorrências que poderiam ser evitadas. Outras 18.063 pessoas ficaram gravemente feridas em um total de 64.255 acidentes.

“Os números representam um recuo de 0,19% no total de acidentes, o número de mortes subiu 0,61%, o que é considerado pela estatística como uma situação de estabilidade, mas não podemos esquecer que o número de mortos e feridos ainda é muito alto“, explica o diretor científico da Associação Mineira de Medicina do Tráfego (Ammetra), Alysson Coimbra.

Em 2021, a ONU (Organização das Nações Unidas) lançou a campanha “Década de Ação pela Segurança no Trânsito”, no qual busca reduzir em 50% as mortes e acidentes até 2030.

Entretanto, o especialista afirma que a meta ainda está distante de ser atingida. “Se quisermos salvar vidas, precisamos, de uma vez por todas, tratar a segurança viária como política pública e investir em fiscalização, educação e em melhorias nas rodovias brasileiras”.

Minas Gerais, estado com a maior malha viária do país, segue liderando o ranking de mortes e sinistros de trânsito. No ano passado, 8.262 acidentes deixaram 699 mortos e 2.508 pessoas gravemente feridas nas rodovias federais mineiras.

Na sequência vêm os estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo, respectivamente.

“Minas acumula graves problemas na sua malha viária e a falta de investimento na recuperação das rodovias vem aumentando, ano a ano, o número de vítimas. Não é à toa que o estado tem 63,7% da malha rodoviária com problemas”, explica Alysson Coimbra, ao citar a Pesquisa CNT de Rodovias 2022. “O levantamento mostra que Minas tem 397 pontos críticos”, relata.

Falta de atenção e imprudência

De acordo com o levantamento da PRF, a principal causa de acidentes em 2022 é a falha humana.  Entre elas, a reação tardia ou ineficiente do condutor; falta de reação do condutor e acessar a via sem observar a presença de outros veículos são as causas mais comuns.

Depois da falta de atenção, a imprudência é a maior causadora de acidentes: dirigir em velocidade incompatível com a via; não manter distância do carro da frente e dirigir sob o efeito de álcool completam o ranking das principais causas de acidentes.

Os dados da PRF revelam que, em 2022, o excesso de velocidade provocou 4.955 acidentes e 753 mortes. O uso de álcool antes de dirigir provocou 4.307 acidentes e 201 mortes no ano passado.

“Apesar de anos de Lei Seca e de penas mais duras, o consumo de álcool ainda é uma das infrações mais frequentes. Todas essas mortes poderiam ter sido evitadas”, comenta Coimbra.

Estados com maior número de acidentes em rodovias federais

  • Minas Gerais: 8.262 acidentes e 699 mortos
  • Santa Catarina: 7.570 acidentes e 350 mortos
  • Paraná: 7.334 acidentes e 570 mortos
  • Rio Grande do Sul: 4.906 acidentes e 334 mortos
  • Rio de Janeiro: 4.679 acidentes e 256 mortos
  • São Paulo: 4.371 acidentes e 223 mortos

Informações ND+

Artigo anteriorMega-Sena acumula e prêmio para o próximo sorteio é R$ 53 milhões
Próximo artigoDomingo tem carnaval infantil em Itapema