Saúde inaugura Sala de Situação para monitorar informações sobre a pandemia

0
104

A pandemia da COVID-19 reforçou a importância da utilização das ferramentas de tecnologia para a gestão da saúde. A “Sala Conecta”, Sala de Situação da Secretaria de Estado de Saúde (SES), propõe uma integração de dados, possibilitando uma gestão em tempo real das informações e o controle sobre os movimentos da saúde pública. O espaço foi inaugurado na manhã desta quarta-feira, 8.

O ato contou a presença do secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, do secretário adjunto da SES, Alexandre Lencina; do subchefe da Casa Civil, Juliano Chiodelli, do presidente da Fundação de Amparo a Pesuisa de Santa Catarina (FAPESC), Fabio Zabot Holthausen, além de superintendentes e da equipe da Diretoria de Tecnologia da Informação e Governança Eletrônica (DITIG), da SES.

Desenvolvida através da DITIG, que faz parte da Superintendência de Gestão Administrativa da SES, a sala era uma demanda percebida desde 2019. O projeto inicial previa um investimento de mais de R$ 5 milhões, mas, por meio de uma reestruturação e visão de oportunidade, o valor foi reduzido para R$ 60 mil, gerando economia aos cofres públicos e oferecendo a mesma qualidade de monitoramento.


Fotos: Karla Lobato/SES
“Desde o princípio da nossa gestão, sabíamos da importância de trazer a saúde para o século 21. Em 2019, começamos a desenvolver essa estruturação. A pandemia nos demonstrou de forma ainda mais forte o quanto isso é fundamental. Agora, temos o espaço físico em que podemos visualizar essa integração de informações que já vinha sendo construída de forma virtual”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro.

“Em meio à pandemia, a SES conseguiu inovar, crescer e se destacar. Através disso, neste momento, conseguimos ter um controle da situação. Enquanto outros estados demonstram dificuldades, nós apresentamos uma ferramenta de inovação e gestão”, complementou Chiodelli. Além da estruturação da Sala, a SES adquiriu 2 mil computadores, que serão distribuídos às unidades hospitalares, para atualização das ferramentas de gestão, além de um novo datacenter e da implantação da telefonia VOIP, o que permitirá uma coleta de big data e a realização das análises de dados com inteligências artificiais e algoritmos avançados para uma otimização do acesso aos serviços de saúde.

A diretora de Tecnologia da Informação da SES, Bianca Vieira, explicou que a saúde gera um grande volume de dados, desde o monitoramento epidemiológico e sanitário até todo o acompanhamento dos pacientes em atenção primária e hospitalar. “Muitos dos dados ainda são armazenados no formato impresso ou processos informatizados inapropriados para serem analisados. Poucas modelagens estatísticas eram aplicadas às situações para se verificar como gerar mais economia, melhorar o fluxo de trabalho e gerar mais resultados. Nós mostramos o quanto avançamos e ainda podemos avançar nesses processos. Agora, através de uma plataforma integrada, os gestores e a própria população conseguem visualizar essas informações, mas ainda temos que seguir avançando.” afirmou.
Para acessar os painéis de informação basta acessar a site aqui.