Samu chega a mais de 90 mil atendimentos no primeiro semestre de 2022

0
62

Fotos: Andrey Lehnemann / SES

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Santa Catarina atendeu 90.804 ocorrências com envio de ambulância nos primeiros seis meses de 2022. O número é cerca de 24% a mais que o do ano passado, quando foram 73.266 atendimentos no mesmo período. O relatório da Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Superintendência de Urgência e Emergência, contemplou as Unidades de Suporte Básico (USBs) e as Unidades de Suporte Avançado (USAs) em todas as mesorregiões de saúde. O período do relatório é do primeiro dia de janeiro até o dia 19 de junho.

Em 2022, as Unidades de Suporte Avançado atenderam 3.185 casos a mais que em 2021, enquanto as Unidades de Suporte Básico registraram 14.571 ocorrências a mais.

Houve aumento nas regiões de Blumenau e Criciúma, que passaram de 11 mil para 14 mil, e principalmente na Grande Florianópolis e em Joinville, as quais passaram de 11 mil para 15 mil e 16 mil, respectivamente. A única região com menos atendimentos que no ano passado foi a de Chapecó – de 9.062 ocorrências para 8.800.

Gestão de qualidade
A gestão compartilhada entre a SES e a Fundação de Apoio ao Hemosc/Cepon, a Fahece, iniciou efetivamente em abril, mas desde o primeiro dia de janeiro a Fundação assumiu emergencialmente o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

Gestão de gastos

A Fahece já apresentou a prestação de contas do contrato emergencial dos três primeiros meses, no início deste mês de junho. O valor pago pelo Estado para o Samu nestes primeiros meses foi de R$ 32,9 milhões. A operação para a fundação custou, no entanto, menos que o valor projetado – o que fez com que fossem devolvidos R$ 12,5 milhões para Santa Catarina. Quase 40% do que foi pago.

O contrato de gestão compartilhada entre Fahece e SES prevê justamente isso: o que não for usado, é devolvido para a população.

Atualmente, o Samu de SC conta com 95 Unidades de Suporte Básico e 23 Unidades de Suporte Avançado. Nas USBs, há um motorista socorrista e um técnico em enfermagem, enquanto, nas USAs, há um médico, um enfermeiro e um motorista socorrista. O Samu de SC é o único da região sul do país a cobrir 100% da população. O serviço é gratuito, via SUS.