PF investiga desvios de até R$ 6 milhões no combate à pandemia em oito cidades de SC

0
802

A PF (Polícia Federal) investiga desvios de recursos para o combate à pandemia da Covid-19 que podem chegar a R$ 6 milhões em oito cidades de Santa Catarina. A segunda fase da Operação Fuscus foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (4).

Segunda fase da Operação Fuscus foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (4) – Foto: PF/Divulgação/NDSegunda fase da Operação Fuscus foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (4) – Foto: PF/Divulgação/ND

Foram cumpridos 26 mandados de busca e apreensão em endereços de órgãos públicos, empresas, servidores públicos e empresários nos municípios de Sombrio, Araranguá, Passo de Torres, Jacinto Machado, Praia Grande, Timbé do Sul, São João do Sul e Camboriú.

A investigação apura supostas fraudes na compra de medicamentos, insumos e EPIs que não teriam sido entregues ao Poder Público.

Uma denúncia que apontava excesso no volume de aquisições e sobrepreços de produtos adquiridos por uma secretaria municipal de saúde foi realizada em setembro de 2020.

Supostas fraudes teriam ocorrido na compra de medicamentos e EPIs - PF/Divulgação/ND
33

Supostas fraudes teriam ocorrido na compra de medicamentos e EPIs – PF/Divulgação/ND

Polícia Federal investiga desvios de recursos destinados ao combate à pandemia em oito cidades de SC - PF/Divulgação/ND
13

Polícia Federal investiga desvios de recursos destinados ao combate à pandemia em oito cidades de SC – PF/Divulgação/ND

Ao todo, são apurados desvios de R$ 6 milhões - PF/Divulgação/ND
23

Ao todo, são apurados desvios de R$ 6 milhões – PF/Divulgação/ND

Supostas fraudes teriam ocorrido na compra de medicamentos e EPIs - PF/Divulgação/ND
33

Supostas fraudes teriam ocorrido na compra de medicamentos e EPIs – PF/Divulgação/ND

Polícia Federal investiga desvios de recursos destinados ao combate à pandemia em oito cidades de SC - PF/Divulgação/ND
13

Polícia Federal investiga desvios de recursos destinados ao combate à pandemia em oito cidades de SC – PF/Divulgação/ND

Assim, a primeira fase da Operação Fuscus foi deflagrada em novembro daquele ano, na qual investigava desvios de R$ 1,7 milhões. Conforme a PF, após as fiscalizações, os investigados seguiram com as condutas suspeitas, o que motivou a deflagração da segunda fase da operação.

A PF ainda busca identificar a eventual participação de servidores públicos no esquema, bem como o destino dos recursos públicos envolvidos.

Tocador de vídeo

00:00
00:11

Oito cidades de Santa Catarina são investigadas pela PF – Vídeo: PF/Divulgação/ND

Caso comprovada a fraude, os investigados poderão responder pela prática dos crimes de organização criminosa, peculato e fraude ao caráter competitivo de licitações, cujas penas somadas podem chegar a 28 anos de prisão.

Artigo anteriorEm três meses, IMA arrecada mais de R$ 250 mil em acordos de conciliação
Próximo artigoSC terá temporais isolados, sensação de ar abafado e altas temperaturas nesta quinta