Novembro Azul: especialistas alertam sobre fatores de risco e prevenção

0
159

O câncer de próstata é a quarta causa de morte por neoplasias no Brasil, e corresponde a 6% do total de óbitos por este grupo. A taxa de letalidade bruta vem apresentando acentuado ritmo de crescimento. Segundo levantamento do Observatório da Atenção Primária à Saúde da Umane, os estados que registraram os maiores aumentos foram Pará, Amapá, Maranhão, Mato Grosso e Bahia.

Na contramão, estão Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Roraima e Distrito Federal, com os menores índices. Em 2020, 15.841 brasileiros morreram em decorrência da doença, uma taxa de 15,3 por 100 mil habitantes. Conforme o estudo, 89% das mortes são de indivíduos com 65 anos ou mais, 50% são brancos, 11% pretos e 36% pardos. O número representa um crescimento de 24% em relação a 2010. Em 2021, 16.055 homens faleceram em decorrência do câncer de próstata.

Assim como em outros tipos de câncer, a idade é um marcador de risco importante, ganhando um significado especial nos casos relacionados à próstata, uma vez que tanto a incidência como a mortalidade aumentam exponencialmente após os 50 anos. Segundo o oncologista do Instituto Lado a Lado pela Vida Igor Morbeck, o histórico familiar de pai ou irmão com a enfermidade é outro fator que deve ser observado.

“Esse fator pode aumentar o risco de 3 a 10 vezes em relação à população em geral, podendo refletir tanto características herdadas quanto estilos de vida compartilhados entre os membros da família”, explica.

Para que o diagnóstico seja feito de forma precoce, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) recomenda que homens a partir dos 50 anos procurem um profissional especializado. Pessoas que integram o grupo de risco (negros ou com parentes de primeiro grau com câncer de próstata) devem iniciar o acompanhamento aos 45 anos.

O diagnóstico inclui exames clínicos, laboratoriais, endoscópicos ou radiológicos, de pessoas com sinais e sintomas sugestivos. No caso do câncer de próstata, esses exames são o toque retal e o exame de sangue para avaliar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico).

De acordo com especialistas não existe uma prevenção contra o câncer de próstata. A detecção precoce é uma estratégia utilizada para encontrar um tumor na fase inicial e possibilitar maior chance de um tratamento bem-sucedido.

Artigo anteriorProjetos desenvolvidos na Rede Municipal de Ensino de Itapema são expostos em feira
Próximo artigoSanta Catarina recebe medicação para tratamento de Covid-19