Massa de ar muito quente promete ‘cozinhar’ temperaturas em pleno inverno em SC

0
148

Uma massa de ar muito quente cobre a América do Sul nesta quarta-feira (2). O enorme bolsão de ar quente que está em cima de Santa Catarina, pode influenciar as temperaturas no Estado.

De acordo com a Defesa Civil do Estado, a influência de uma massa de ar seco, assim como nos dias anteriores, faz com que a quarta-feira continue com a condição de tempo firme e predomínio de sol em todas as regiões.

As mínimas variam entre 0°C e 11°C do Meio-Oeste aos Planaltos e no Alto Vale e oscilam entre 3°C e 17°C nas demais áreas. As máximas variam entre 23°C e 29°C na maior parte do Estado, no entanto, as temperaturas podem passar dos 30°C no Oeste e no Extremo Oeste.

Já nesta quinta-feira (3) o dia inicia com predomínio do sol em toda Santa Catarina e há formação de nevoeiros entre a madrugada e a manhã pelo estado. Entre a tarde e a noite, os ventos viram de direção sul trazendo umidade, o que ocasiona um aumento da nebulosidade no litoral e em suas proximidades.

Segundo a Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina) a temperatura será amena na madrugada e elevada para época do ano à tarde.

As temperaturas mínimas marcam entre 6°C e 13°C do Meio-Oeste aos planaltos e variam entre 12°C e 18°C nas demais regiões. Devido ao vento Sul e à maior cobertura de nuvens, as temperaturas máximas não sobem tanto no Litoral Sul e no Planalto Sul, com máximas não passando dos 25°C. No Meio-Oeste, Planalto Norte, Vale do Itajaí e no litoral elas marcam entre 24 e 30°C, enquanto que no Oeste e Extremo Oeste as temperaturas vão “para as alturas” e ficam entre 26°C e 32°C.

Massa de ar quente do Hemisfério Norte?

Com intensas e sucessivas ondas de calor e recordes de temperaturas sendo superados, julho foi o mês mais quente já registrado. Essa marca foi superada na comparação com as medições diárias ao longo das últimas décadas, mas também ao confrontarmos às estimativas de milhares de anos atrás.

As informações foram obtidas após a Universidade do Maine analisar inicialmente os dados de temperaturas do Centro Nacional de Previsão Ambiental dos Estados Unidos. Logo após as análises, os dados foram publicados na ferramenta Climate Reanalyzer, que demonstraram que as temperaturas diárias ao longo do mês ficaram entre 0,56°C e 1,02°C acima da média (de 1979 a 2000).

Ainda, conforme o órgão, o mês de julho foi marcado pela quebra de recordes diários de temperaturas. Já na primeira semana, três marcas foram batidas: no dia 3, a média global chegou a 17,01°C, ultrapassando o registro de 2016 de 16,92°C, que se repetiu em 2022.

O meteorologista Piter Scheuer, aponta que o Brasil vai enfrentar temperaturas acima da média neste verão. Piter reforça que as influências causadas pelo El Niño, tendem a marcar presença no Brasil durante o verão, sendo assim, em Santa Cataria também.

Com isso, o meteorologista aponta que teremos um verão com calor elevado e também, com maior ocorrências de chuvas no período. Ainda, o especialista aponta que o verão, visto no hemisfério Norte, não chegará com tanta intensidade em território brasileiro.

Informações ND+

Artigo anteriorPorto Belo abre inscrições para transporte ao HEMOSC neste mês de agosto
Próximo artigoJoinville terá voo direto para cidade turística do Nordeste