Justiça manda internar adolescente que teria atirado e matado comparsa durante assalto, diz MPSC

Os dois tentavam roubar um comércio no Centro de Florianópolis. Durante o crime, um dos assaltantes foi baleado e não resistiu.

0
428

A Justiça mandou internar provisoriamente, por 45 dias, o adolescente que teria atirado e matado acidentalmente o comparsa durante um assalto a um ourives no Centro de Florianópolis.

O pedido pela internação foi feito pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), que representou o menor de idade por atos infracionais análogos aos crimes de latrocínio e porte ilegal de arma de fogo de uso permitido.

A internação provisória é a medida socioeducativa mais rigorosa prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), frisou o MPSC. O crime foi na quinta-feira (13) e, conforme a Polícia Militar e o Ministério Público, o adolescente acabou matando o outro assaltante ao tentar atirar na vítima do roubo.

Segundo o MPSC, as investigações apontam que o menor de idade tinha ido ao comércio na quarta (12) e encomendou um par de alianças porque pediria a namorada em casamento. No dia seguinte, com a desculpa de buscar as joias, ele foi com o comparsa e anunciou o assalto.

Esse outro assaltante agarrou o pescoço da vítima e começou a dar coronhadas na cabeça dela. O adolescente, vendo que o comerciante resistia, atirou, mas acertou o próprio companheiro, que não resistiu ao ferimento, conforme a apuração do caso.

Depois do primeiro disparo, o ourives teria entrado em luta corporal contra o adolescente, que atirou mais uma vez e, na sequência, acabou desarmado. A arma foi arremessada pela janela e o menor de idade foi imobilizado até a chegada da polícia.

O G1 procurou a Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa para saber se o adolescente tinha sido internado, mas não obteve resposta até a publicação desta notícia.

Fonte: G1SC