Governo Aberto: Administração e CGE apostam em novos meios para avaliar serviço público

0
799

Foto: Divulgação/SEA

Para aperfeiçoar os serviços públicos, pensando em novas formas de avaliação e mensuração da qualidade dos serviços prestados, a Secretaria de Estado da Administração (SEA) e a Controladoria-Geral do Estado (CGE), estão apostando em novas estratégias de gestão. Entre elas, está a criação de um conselho de usuários, a adoção de novas ferramentas tecnológicas de avaliação dos serviços digitais e a implantação de um novo sistema de ouvidoria e acesso à informação. O projeto é um dos quatro compromissos firmados no 1º Plano de Ação SC Governo Aberto, que será lançado oficialmente nesta quarta-feira, 22, às 14 horas, no Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis.

O Conselho de Usuários está previsto na Lei Federal nº 13.460/2017, que dispõe sobre participação, proteção e defesa dos direitos dos usuários dos serviços públicos da administração pública. “É um instrumento já consolidado na União e com muito potencial para promover melhorias no atendimento às necessidades da população catarinense”, afirmou o controlador-geral do Estado, Cristiano Socas da Silva.

Para promover a participação social, a Secretaria de Estado da Administração vai desenvolver ferramentas tecnológicas que objetivam auxiliar o processo de avaliação de serviços digitais do governo. Paralelamente, a pasta planeja desenvolver e publicar metodologia de avaliação de serviços públicos, incluindo critérios básicos de avaliação, ciclos avaliativos e feedbacks para melhoria e ranking de avaliação.

“É fundamental que o Estado tenha ferramentas para avaliar seus serviços, em especial os que estamos transformando para o formato digital. Precisamos escutar as pessoas, coletar opiniões e sugestões. Só assim poderemos evoluir, oferecendo serviços melhores e mais vantajosos para todos”, explicou o diretor de Tecnologia e Inovação da Secretaria de Estado da Administração, Felix Fernando da Silva.

Seguindo essa  linha, a CGE também vai implantar um novo sistema de ouvidoria e acesso à informação. Um dos objetivos é que a ferramenta ofereça informações gerenciais das manifestações feitas pelos cidadãos à Ouvidoria-Geral do Estado. “O cidadão é o detentor dos pontos fortes e fracos da gestão pública. Ele é a chave para que possamos planejar políticas públicas em sintonia com a sociedade”, afirmou Socas.

Artigo anteriorAgricultura investirá R$ 1 milhão para proteger a fruticultura do granizo
Próximo artigoSecretaria de Saúde de Itapema segue com a vacinação da segunda dose, dose reforço e primeira dose para adolescentes