Em Rio do Sul, governador reforça apoio do Estado e confirma o fechamento das comportas da Barragem de José Boiteux

0
100

Para ajudar a conter o volume de água no Vale do Itajaí, uma das regiões mais castigadas pela enchente no estado, o governador Jorginho Mello confirmou na tarde deste domingo, 8, que as comportas da Barragem de José Boiteux estão fechadas. “É o momento de nos ajudarmos para proteger a vida das pessoas”, disse o governador em coletiva de imprensa, em Rio do Sul. O governador retornou neste domingo ao município que tem o maior número de desabrigados pelas cheias.

O fechamento das comportas da barragem contou com o apoio das Polícias Militar e Federal.

“Conseguimos concluir com sucesso a operação. Esta ação vai diminuir o nível do Rio Itajaí Açu, em Blumenau, minimizando o impacto das cheias. Seguimos monitorando o nível de chuvas na região e em todo o estado, A proteção das pessoas é a nossa prioridade”, ressaltou o governador.

O governador pontuou ainda que as negociações com a comunidade indígena do local começaram já na noite deste sábado, 7, e que todos os itens da pauta de reivindicação foram e serão atendidos pelo Governo do Estado.

“Enviamos tudo o que eles pediram, desde mais de 900 cestas básicas até uma ambulância que já está no posto da PM de José Boiteux, além disso, seguiremos investindo em melhorias de infraestrutura, principalmente, e de convivência social que aquela comunidade pede há mais de 20 anos”, enumera o governador.

De acordo com ele, a ação se soma a todo o trabalho já realizado pelo Governo do Estado, incluindo a prevenção com a emissão de alertas que permitiram às famílias e comerciantes se anteciparem e protegerem também seus patrimônios.

O fechamento

A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), junto com a Polícia Federal, conseguiu a desocupação da Barragem de José Boiteux. O comandante-geral da PMSC, coronel Aurélio José Pelozato da Rosa, explica que houve um confronto pontual, com um grupo pequeno de indígenas.

Na noite deste sábado, 7, o Batalhão de Choque, a Cavalaria e Pelotões da cidade do Vale do Itajaí se deslocaram até a Barragem de José Boiteux com a missão de liberar da área, para que a equipe técnica da Defesa Civil do Estado pudesse avaliar a estrutura e posteriormente o fechamento das comportas.

A negociação para o fechamento foi realizada entre o governador Jorginho Mello e o cacique Setembrino Camlém, que fez alguns pedidos para a liberação da área. A partir do acordo, os policiais se deslocaram para o trabalho em campo.

“Nós temos imagens que mostram o nosso efetivo chegando no local, conversando com o cacique e uma oficial de justiça lendo o documento. Até então uma desocupação sendo feita pacificamente. Só que mais ao final da operação fica um pequeno grupo concentrado na casa de máquinas, onde os policiais precisavam entrar para fazer os reparos”, conta o comandante.

Segundo Pelozato, esse pequeno grupo ficou na casa das máquinas negociando com alguns policiais federais, mas negaram desocupar o local.

“Eles tentaram tirar as armas dos policiais, tanto que o comandante da operação no local entrou em contato com o cacique para esclarecer essa situação. Dois indígenas identificaram esse fato homem que atacou os policiais e disse que chamaria a atenção dele, porque descumprir o que foi negociado. Nós usamos, como forma de proteção, armamento não letal. Temos um relatório e vamos esclarecer todo o ocorrido”

Artigo anterior‘É muita água’: Itajaí corre risco de enchente? Meteorologistas alertam
Próximo artigoAlerta vermelho em SC: com risco muito alto para alagamentos, deve chover 150 mm em 1 dia