Descarte correto de lixo é essencial para evitar acidentes com profissionais da coleta; veja dicas práticas

0
145

Os profissionais responsáveis pela coleta de lixo trabalham na linha de frente da limpeza urbana e lidam diariamente com diversos tipos de resíduos, sejam eles recicláveis, orgânicos, de saúde ou rejeitos. Muitas vezes, esses descartes vêm acompanhados por materiais perfurocortantes, como cacos de vidro, agulhas, pregos e espetos de churrasco. Em consequência do mal acondicionamento desses objetos, na hora de colocá-los em sacos de lixo para a coleta, acabam ocorrendo acidentes de trabalhado com os coletores.

Dados da Veolia, prestadora de serviço de coleta de resíduos nas cidades de Biguaçu, Bombinhas, Tijucas e Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis, mostram que a maioria das ocorrências registradas entre janeiro e junho deste ano, foi por corte e perfuração nas mãos e nos pés com cacos de vidro. Apesar de os coletores fazerem uso de EPIs (equipamentos de proteção individual), como luvas e calçados fechados com bico de ferro, é fundamental que a população descarte e embale corretamente o lixo perfurocortante. Além do risco de cortes, perfurações e ferimentos, esses materiais podem transmitir uma série de doenças, como HIV, hepatite B e o contágio por fungos ou bactérias.

“Além de acidentes com perfurocortantes, é recorrente recebermos o relato de profissionais que são mordidos e atacados por cachorros em casas de moradores que deixam o portão aberto. Esses profissionais prestam um serviço essencial à sociedade. Portanto, protegê-los e contribuir para sua saúde e bem-estar é um dever de todos nós, garantindo assim, a manutenção da limpeza das cidades”, observa Hanokh Yamagishi, Diretor da Regional Sul da Veolia, empresa líder mundial em soluções ambientais.

Cuidados com resíduos de saúde

Em março, um coletor de RSS (Resíduo de Serviço de Saúde) da Grande Florianópolis teve perfuração no braço ao recolher os resíduos dentro de uma unidade de serviços de saúde, devido ao mal acondicionamento de uma agulha. No mês seguinte, outro profissional da Veolia teve perfuração na mão, ao recolher os materiais em outra unidade. “Isso mostra que os profissionais da área da saúde também precisam tomar cuidado com o descarte de perfurocortantes, o que é normatizado pelo Ministério da Saúde”, alerta Hanokh.

Importante destacar que esse tipo de resíduo também é gerado na casa de pacientes que fazem a aplicação de medicamentos de uso contínuo, como insulina e morfina. O material deve ser descartado na Rede Básica de Saúde, a fim de que os resíduos de saúde recebam o tratamento adequado, antes de serem encaminhados aos aterros sanitários. A planta de tratamento de RSS do CGR Biguaçu opera com autoclave, um equipamento de esterilização a vapor, que tem uma operação automatizada e controlada por indicadores de desempenho.

Caminho do Lixo

E não é só com a coleta de resíduos que a Veolia se preocupa. A empresa tem uma atenção especial com o percurso que o lixo percorre. Recentemente, o grupo lançou a campanha intitulada “O Caminho do Lixo”, que pode ser vista aqui.  No vídeo, é possível conhecer todo o percurso do lixo, desde o seu descarte, à coleta nas ruas, passando pelo transporte, até a sua chegada nos CGRs (Centros de Gerenciamentos de Resíduos), popularmente conhecidos como aterros sanitários. Também é possível conhecer os diferentes tipos de tratamentos e tecnologias que os materiais recebem, antes de serem encaminhados ao destino final.

Dicas importantes

Você sabia que cada brasileiro gera, em média, 1kg de lixo por dia? Por ano são produzidos mais de 80 milhões de toneladas de resíduos, sendo que menos de 5% desse total é reciclado, segundo dados da Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais). Para ajudar a população a fazer o descarte correto dos rejeitos, a Veolia preparou uma série de dicas práticas. Confira cada uma delas e faça o descarte correto do seu lixo.

  • Objetos cortantes e perfurantes como vidros quebrados, facas, lâminas, latas, espetinhos de churrascos, entre outros, devem ser embalados antes de descartados. A dica é cortar uma garrafa de plástico ao meio, colocar o material, encaixar novamente a tampa da garrafa e passar uma fita adesiva. Assim cria-se mais uma barreira entre a mão do coletor e o objeto;
  • Escrever que há material cortante e colocar o objeto em uma garrafa pet transparente ajuda o coletor a visualizar o conteúdo;
  • Agulhas e seringas não devem ser colocadas em lixeiras comuns. O ideal é entregá-las nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), que dispõem de coletores específicos para esses materiais;
  • Pilhas, baterias, lâmpadas fluorescentes e eletroeletrônicos devem ser entregues em pontos de coleta específicos enquanto medicamentos vencidos podem ser entregues em farmácias;
  • Coloque o lixo em sacos resistentes e bem fechados. O ideal é utilizar sacos de até 50 litros;
  • Mantenha cães presos nos horários próximos da coleta de lixo, evitando que os coletores sejam atacados ou mordidos;
  • Só coloque o lixo para fora de casa nos dias e horários de coleta.

Sobre a Veolia

O Grupo Veolia é referência mundial na transformação ecológica. Presente nos cinco continentes, com mais de 220 mil colaboradores, o Grupo projeta e implementa soluções que atendam aos desafios atuais de cidades e indústrias, na gestão de água, resíduos e energia.  Por meio de suas três atividades complementares, a Veolia ajuda a melhorar o acesso aos recursos, a preservar e renová-los. Em 2022, o Grupo Veolia forneceu água potável a 111 milhões de pessoas, saneamento básico a 97 milhões, e produziu 44 terawatts hora de energia, além de valorizar 61 milhões de toneladas de resíduos.  A Veolia Environnement (Paris Euronext: VIE) alcançou receita consolidada de 42,8 bilhões de euros em 2022.

Artigo anteriorO SINE de Itapema iniciou a semana com 129 vagas de emprego disponíveis.
Próximo artigoJovem vai ‘tirar satisfação’, se desequilibra e morre ao cair de sacada