Deputado Coronel Mocellin ouve demandas de clubes de tiro de Camboriú e região

0
524

Atirador esportivo e entusiasta da legítima defesa com maior acesso do cidadão às armas, o deputado Coronel Mocellin percorreu, na última segunda-feira, cinco clubes de tiro de Camboriú e região, e Tijucas para ouvir demandas e buscar saídas para dar mais segurança jurídica ao setor.  Entre os clubes, o The Bullets, de Navegantes, o CCTC de Camboriú e Tijucas, bem como o Ferroni e o Winchester, de Itapema.

Um dos maiores pleitos do setor é por uma legislação mais segura, que dê aos clubes mais garantias jurídicas para manter o trabalho. Os CACs reconhecem os avanços dos decretos assinados por Bolsonaro, que mudaram regras de acesso a armas e munições, mas cobram a aprovação do PL 3723/19, que tramita no Congresso Nacional.

Assim, o esporte do tiro passaria a ser regulamentado por lei ao invés de decretos e portarias, garantindo a continuidade regular da sua prática e permitindo melhores investimentos.

“Temos de regulamentar o setor pela importância na capacitação de atiradores e por toda a cadeia econômica envolvida”, ressaltou o deputado, que aproveitou o roteiro para praticar o tiro e foi acompanhado na agenda pelo instrutor Ricardo Gebeluca

Grande parte dos clubes está nos estados de São Paulo (93.678 registros ativos), Paraná e Santa Catarina (57.265) e Rio Grande do Sul (55.741). Em seguida vêm Goiás, Distrito Federal, Tocantins e parte do Mato Grosso (32.665). Também é nesses Estados que está concentrado o maior número de clubes de tiro e lojas de arma de fogo.

Artigo anteriorCoronavírus em SC: Estado confirma 1.569.584 casos, 1.512.883 recuperados e 21.125 mortes
Próximo artigoIniciam as oficinas culturais em Itapema