Deputado catarinense pede o afastamento do presidente da PREVI, fundo do Banco do Brasil

0
143

No que depender do deputado federal Jorge Goetten (PL), o maior fundo de pensão da América Latina, a PREVI do Banco do Brasil, não ficará sob o comando do sindicalista João Fukunaga. O parlamentar apresentou ao Tribunal de Contas da União uma representação – espécie de denúncia – na qual pede o afastamento do atual presidente, justificando que o seu currículo não é compatível com o cargo.
Graduado em história, Fukunaga é funcionário do BB desde 2008 com o cargo de escriturário. Porém, ainda em 2012 optou pela carreira no sindicalismo, ocupando posições em cargos de direção no Sindicato dos Bancários de São Paulo.
A PREVI conta com cerca de 200 mil beneficiários e é a maior acionista da mineradora Vale. Conforme Goetten, a indicação do nome não foi devidamente justificada. “Não estamos falando de qualquer cargo de chefia. É um cheque de 250 bilhões de reais para uma pessoa que não tem experiência com gestão, finanças ou administração. No mínimo questionável”.

Artigo anteriorNova empresa assume Coleta Seletiva em Porto Belo
Próximo artigoApós 60 horas de buscas, suspeito de atropelar policial se rende e é preso em SC