Covid-19: Anvisa flexibiliza regras de embarque em navios de cruzeiro

0
267

Foi revogado o limite de 75% de ocupação da embarcação – Foto: Prefeitura de Itajaí/Reprodução/ND

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) decidiu rever as regras para embarque, desembarque e transporte de viajantes em navios de cruzeiro vigentes desde o surgimento da pandemia de Covid-19. A queda do número de casos e mortes pela doença no Brasil motivou a revisão.

Não haverá mais, por exemplo, monitoramento constante da situação de saúde dos viajantes a bordo, com testagem diária dos passageiros e tripulantes. O uso de máscara só continua obrigatório em situações específicas, como nos casos de pessoas que tiveram contato com quem suspeita que está doente ou confirmou ter o vírus, e no caso de quarentena na embarcação, quando todos os ocupantes deverão usar máscara.

As embarcações ainda precisam manter o monitoramento de casos a bordo e ter planos de prevenção e resposta à Covid-19, mas esse plano não será mais avaliado pela agência antes do início das operações e, sim, durante as inspeções. O controle sanitário do embarque passa a aceitar, para admissão de passageiros e tripulantes no navio, o esquema vacinal primário completo ou teste negativo para Covid-19. Até então, a vacinação era obrigatória, não podendo ser substituída pela apresentação de teste.

A Anvisa também revogou a proibição de eventos coletivos nos terminais, de operações simultâneas no mesmo terminal, e a obrigatoriedade de vacinação completa aos trabalhadores dos terminais. Também foi revogado o limite de 75% de ocupação da embarcação. Uma novidade trazida pela nova resolução é de que as embarcações vindas do exterior somente poderão entrar em portos brasileiros designados pela Organização Mundial da Saúde, de modo a garantir que haja equipe de fiscalização da Anvisa nesses pontos de entrada.

Nessa última decisão, a Anvisa manteve a obrigatoriedade de atendimento médico gratuito a bordo para casos suspeitos, a testagem de casos suspeitos e contatos próximos, a necessidade de isolamento para casos suspeitos a bordo, além da existência de um plano de prevenção e resposta à Covid 19 a bordo. As embarcações deverão assegurar reserva mínima de 2% de cabines para isolamento de casos confirmados e suspeitos.

A decisão da diretoria da Anvisa, proferida em reunião extraordinária ocorrida no fim da tarde desta quinta-feira (29), levou em consideração a queda no número de casos e mortes por Covid-19 no Brasil. Durante a reunião, o diretor relator, Daniel Fernandes Pereira, destacou em seu voto a redução de 33% no número de casos novos em relação a agosto. A média móvel no mesmo período também segue em tendência de queda, ainda que menos expressiva, de 4%.

“Considerando a evolução do cenário epidemiológico, o avanço da vacinação no Brasil e no mundo, o acompanhamento das operações nas embarcações durante dois meses de operações de cruzeiro nas temporadas 2021/2022, fez-se necessário reavaliar os requisitos para embarque e desembarque e transporte de viajantes em embarcações que circularão pelo Brasil na temporada de navios de cruzeiros 2022/2023, de modo a manter a proporcionalidade e a eficácia das medidas frente ao risco sanitário atual”, disse o relator da resolução aprovada nesta quinta.

Artigo anteriorA 6ª Cãominhada Pela Vida Trânsito, alusiva a Semana Nacional do Trânsito, já tem uma nova data. Será no domingo, dia 9 de outubro, a partir das 9h, na Praça Almirante Tamandaré. Promovida pela Prefeitura de Balneário Camboriú, por meio da Escola Pública de Trânsito e da BC Trânsito, o objetivo da ação é conscientizar os tutores sobre a forma correta de transportar os animais domésticos no trânsito. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no local de partida da Cãominhada. Lembrando que quem se inscreveu para o evento que ocorreria no dia 18 de setembro, precisa se inscrever novamente. Segundo a psicopedagoga da Escola Pública de Trânsito, Karine Winter, a Cãominhada é importante para a socialização entre pets e donos. “O cachorro ou gato, além de serem animais de estimação e fazer parte do trânsito de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, oportuniza aos tutores, conhecerem outras pessoas que também gostam de animais”, afirma. Os tutores precisam ficar atentos ao bem-estar do animal, levando água; e também são responsáveis por recolher as fezes na rua. Os pets devem ser conduzidos em guias. No fim do percurso haverá sorteio de diversos brindes oferecidos pelos apoiadores e parceiros do evento, coleta de doações para ONGs, feirinha e bazar pet. O trajeto parte da Praça Almirante Tamandaré, seguindo pela Avenida Atlântica, passa pela Avenida Alvin Bauer, entra na Avenida Brasil, passa pelo calçadão da Avenida Central, retorna para a Avenida Atlântica e finaliza na Praça Almirante Tamandaré. Durante a passagem dos participantes, o trânsito da Avenida Atlântica ficará momentaneamente bloqueado até o ingresso dos participantes na Avenida Alvin Bauer; e a partir dela e da Avenida Brasil, estará em meia pista. Para mais informações, os interessados podem acessar o Instagram da Escola Pública de Trânsito da Autarquia BC Trânsito, @eptbc, ou o perfil da Autarquia, @bc.transito.
Próximo artigoAluna da UFSC sofre ataque racista em banheiro da universidade, em Florianópolis