Comunidade Pesqueira de Bombinhas celebra Abertura da Pesca Artesanal da Tainha

0
1252

Neste domingo, 6 de maio, foi realizada a Missa de Abertura da Pesca Artesanal da Tainha de 2018, na praia de Bombas.

A missa presidida pelo pároco bombinense, Padre Silvano de Oliveira, além de festejar o início da temporada de tainhas, iniciada no dia primeiro de maio e segue até 31 de julho, pedir a abundância dos cercos e lanços, abençoar comunidade pesqueira e embarcações presentes, demonstra todo o significado desta tradição para a população em geral. Ainda, propiciou na praia um encontro de gerações. Octogenários e até nonagenários misturados a quem incia a vida. Jovens e adolescentes, pescadores de todas as gerações e seus familiares, autoridades do executivo e do legislativo, população em geral e visitantes, todos num único intuito: glorificar a pesca.

Este ano, uma vez mais, o caíco “Anjo Rafael” serviu de altar onde os paramentos litúrgicos, objetos e alimentos foram ofertados, diante de, aproximadamente, 500 pessoas que participaram deste momento de fé, esperança, tradição e confraternização.

Esta celebração também marca a primeira Missa de Abertura da Tainha em que Paulo Henrique Dalago Müller, o Paulinho, participa como prefeito de Bombinhas. Ele ressaltou as raízes bombinenses e valorizou esse momento de fé e graça. “Saímos dessa missa muito felizes e com a palavra do amor em nossos corações, de união e paz entre todos nós. Que possamos seguir em frente e unidos traçar um caminho cada dia melhor”, enfatizou o prefeito.

Em sua décima edição, a missa de Abertura da Pesca Artesanal da Tainha tem um dos momentos mais significativos a passagem da rede de pesca sobre as cabeças das pessoas, conduzida pelos pescadores e puxada por Nossa Senhora, onde todos os presentes podem tocar e carrear por um instante a rede, numa simbologia muito única de partilha sobre a pesca artesanal ser feita a muitas mãos. Uma diferencial dessa edição foi a bênção conjunta sobre o mar direcionada por padre Silvano, onde todos estenderam as mãos e pediram a abundância de lanços e cercos para este ano, bem como a proteção a todos os pescadores. Padre Silvano Oliveira também abençoou as canoas que estavam perfiladas na praia.

Ao final, foi servido o já tradicional café típico, uma partilha composta por coruja (rosca de massa), pudim de folha, beiju, café, Consertada e outras delicias da mesa bombinense, que teve seu feitio pelas matronas da comunidade de Bombas, que trabalharam de forma intensa durante três dias.

A missa de abertura da Pesca da Tainha é organizada por uma comissão e oferece desde a primeira celebração, em 2008, o café de confraternização. José Olímpio Filho, o Mestre Zequinha, integrante dessa comissão organizadora explica que a comunidade além de participar da celebração, também colabora com o café através do livro outro: “A comunidade em geral é muito presente e colaboradora, este ano não pedimos apoio pra fazer o café e mesmo assim muita gente nos procurou e ofereceu. Até o próprio dia ajudou, uma coisa maravilhosa. Só faltou mesmo o cerco, mas ele vem nos próximos dias”, acentua mestre Zequinha.

 

Artigo anteriorGuardas Municipais de Balneário Camboriú recebem treinamento de manuseio de armas de fogo
Próximo artigoContra o aborto, Itajaí terá a primeira Marcha pela Vida