Aula de circo é a nova atividade do Projeto Oficinas em BC

0
1785

Piruetas, fantasias, malabares e pernas de pau. Agora, para os alunos da Rede Municipal de Ensino, será possível brincar e aprender a lidar com todos esses instrumentos através da Oficina de Circo, oferecida pelo Centro Educacional de Atendimento no Contraturno (CEAC) – Projeto Oficinas. As aulas ocorrem no CEM Antonio Lúcio (Rua Itália, nº 977 – Bairro das Nações).

A oficina funciona nas segundas e quartas-feiras, das 16h às 17h30, e começou neste segundo semestre. “Nós tivemos essa proposta de colocarmos uma nova oficina no projeto e deu certo, temos várias crianças interessadas, é uma oficina em que eles interagem bastante”, disse a professora da oficina, Cheril Francine Correa.

A média de idade dos alunos é de oito a 14 anos. De acordo com Cheril, alguns dos instrumentos utilizados são produzidos por ela e pelos próprios alunos com material reciclável. Alguns já seguem o exemplo em casa. “O que mais gosto aqui é de andar de perna de pau. O meu pai me ajudou a afazer uma em casa, então uso ela para praticar”, diz Evelin Cardoso Alves, de oito anos, aluna do 3º ano do CEM Antonio Lúcio.

“Achei a proposta apropriada para o Projeto Oficinas, pois está dentro da nossa visão que é desenvolver habilidades em nossas crianças para ajudá-las no processo de aquisição da aprendizagem da escola formal e da vida. Trata-se de uma oficina bem diferenciada, onde os alunos aprendem com brincadeiras lúdicas”, falou a gestora do CEAC Projeto Oficinas, Márcia Sartori.

A oficina trabalha noções de equilíbrio, com a perna de pau e, futuramente, o slackline e a coordenação motora com os malabares, como claves e bolas. A ideia é que, em 2019, seja posível expandi-la para outras escolas ainda neste ano.

Para fazer a matrícula no Projeto Oficinas o responsável legal do aluno deve ir até a Rua Angelina, s/nº (anexo ao CAIC Ayrton Senna da Silva) – Bairro dos Municípios levando em mãos fotocópias dos próprios documentos como RG, CPF e comprovante de residência e RG e CPF do aluno, bem como atestado de frequência na escola onde estuda. Lembrando que a prioridade das vagas é sempre para alunos dos Centros Educacionais Municipais (CEM’s), seguido pelos de escolas estaduais e, por fim, as instituições privadas.

 

 

Artigo anteriorBalneário Camboriú florida para a primavera
Próximo artigoPrefeita Nilza Simas vistoria obras de pavimentação asfáltica no bairro Centro