Aplicativo Praia Segura do Corpo de Bombeiros Militar agora traz dados de balneabilidade

0
848

O aplicativo Praia Segura do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) agora possui mais uma funcionalidade: mostra também a balneabilidade das praias catarinenses O novo recurso é uma parceria inédita com o Instituto do Meio Ambiente (IMA) e garante a disponibilização das informações se a água da praia está própria ou imprópria para banho.

“Nós alinhamos essas informações entre as instituições e a Divisão de Tecnologia incluiu no aplicativo, criado pelo CBMSC, para que ele possa trazer estas informações para a população, mantendo o Praia Segura cada vez mais completo e também gerando economia, já que nós aproveitamos o recurso que já existe”, explica o comandante-geral do CBMSC, coronel Charles Alexandre Vieira. “Sem contar que esta parceria com o IMA é mais uma forma de garantir a segurança do cidadão nas praias, que além da prevenção a afogamentos gerenciada pelo CBMSC, agora também traz a possibilidade de manter as famílias livres de possíveis doenças”, complementa o comandante-geral.

Sobre o Praia Segura

Desenvolvido no ano de 2016 pela equipe da Divisão de Tecnologia da Informação (DITi) dos bombeiros militares, o aplicativo apresenta aos cidadãos informações para segurança e acessibilidade nas praias catarinenses. Nele, podem ser visualizadas informações das condições do mar, quais as bandeiras do dia em cada praia, além da incidência de águas-vivas. Além disso, é possível verificar em quais locais há a disponibilização de cadeiras anfíbias, que são adaptadas para serem usadas por portadores de necessidades especiais para banhos de mar seguros.

Em 2018, o aplicativo ficou em 1°lugar, do prêmio Boas Práticas em Gestão Pública, organizado pelo Departamento de Administração Pública do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).

Assim como outras aplicações desenvolvidas no CBMSC, o Praia Segura foi criado em software livre, permitindo que outras corporações possam se beneficiar utilizando o código aberto.

Artigo anteriorArtigo: JACATIRÃO DE NATAL por Luiz Carlos Amorim
Próximo artigoBandeira Azul será hasteada no dia 12 em Balneário Camboriú