A Marejada de Itajaí é conhecida por sua farta gastronomia, principalmente pelos pescados e frutos do mar, típicos da região. Nesta edição, 10 restaurantes prepararam pratos exclusivos para a festa e um dos destaques é o tradicional Risoto de Camarão. Preparado pelo chef Ricardo Pereira, que participa do evento há três edições, o prato é um dos preferidos do público do restaurante e a receita pode ser conferida no fim da página. A história do chef Ricardo com a Marejada começou como morador da cidade e visitante. Hoje ele faz parte da maior festa do pescado do Brasil com seus pratos, entre eles a tradicional paella de frutos do mar. Na 33ª edição do evento, ele vendeu em torno de 7.500 porções, 2.000 a mais do que na edição anterior. “A nossa proposta é proporcionar refeições muito bem servidas. Nós servimos todas as refeições em uma cambuca de cerâmica, o que dá uma apresentação bem bacana ao prato e contribui para a sustentabilidade do evento”, destaca o chef Ricardo Pereira. Confira a receita do Risoto de Camarão do chef Ricardo: Porção para 3 pessoas Ingredientes -Azeite de oliva a gosto -Colorau a gosto -Cebola – 200 gramas -Tomate – 200 gramas -Salsa e cebolinha – 200 gramas -Arroz parboilizado – 250 gramas -Requeijão puro sem amido – 160 gramas -Polpa de tomate pura – 70 gramas -Camarão (de acordo com a preferência) – 600 gramas Modo de fazer Molho Base: Refogar a cebola com azeite, acrescentar os tomates picados, a salsa e a cebolinha. Deixar refogar por uns minutos. Acrescentar a polpa de tomate. Deixar ferver por 10 minutos e acrescentar um pouco de água fervente, caso o molho seque. Camarão: Selar rapidamente em uma frigideira no azeite de oliva e reservar. Risoto: Em uma panela, acrescentar um pouco de azeite de oliva, fritar o colorau e, em seguida, acrescentar o molho base. Deixar ferver um pouco e acrescentar o arroz e sal a gosto. Acrescentar água fervente, mexer e esperar o arroz cozinhar. Quando o arroz estiver quase cozido, acrescentar o requeijão puro e mexer até dissolver. Finalização: Misturar o risoto com o camarão, enfeitar com a salsinha e experimentar um prato exclusivo da Marejado preparado no conforto de seu lar. -Dica do chef: Acrescentar o caldo que solta durante a selagem do camarão no risoto.

0
245
Foto: Divulgação/Huna Comunicação

Nem só de malte e lúpulo é feita a cerveja. Segundo dados levantados pelo Instituto Brasileiro de Gestão e Planejamento Tributário (IBGPT), com sede em Balneário Camboriú e atuação nacional, 42,69% da composição do preço final de uma cerveja produzida e vendida no Brasil é imposto. Sem a tributação, o copo das cervejas especiais vendidas na Oktoberfest em Blumenau neste ano poderia sair por R$ 9,17, em vez dos R$ 16 que o público pagou; e as latas a R$ 5,73, em vez de R$ 10.

O advogado Douglas Herrero, especialista em Direito Tributário e sócio-diretor do IBGPT, explica que a tributação da cerveja inclui impostos federais tabelados por litro pelo Governo, como Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e Substituição Tributária do ICMS. Além disso, a bebida também é tributada em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), com alíquota variável por estado.

“É importante frisar que os impostos, no Brasil, somam-se na cadeia produtiva, com oneração de forma linear. Ou seja, a tributação vai construindo o preço desde a produção dos ingredientes até a distribuição no ponto de venda”, explica o advogado.

 

Oktoberfest 2022

A 37ª Oktoberfest de Blumenau registrou aumento no número de público e venda de copos de chope nos 12 primeiros dias do evento, que começou em 5 de outubro. Segundo a Secretaria de Turismo e Lazer do município, foram consumidos 974.813 copos da bebida – 10% a mais que o mesmo período na última festa, realizada em 2019 antes da interrupção devido a pandemia.

 

Cervejarias em Santa Catarina

Segundo dados do último Anuário da Cerveja, publicado pelo Ministério da Agricultura, Santa Catarina é o 1º estado do Brasil em quantidade de cervejarias por habitante. Para cada 37.633 habitantes tem uma cervejaria – a média brasileira é de um estabelecimento para cada 137.713 pessoas.

Até o final do ano passado, existiam 195 cervejarias registradas em SC, onde o número de estabelecimentos desse ramo cresce em média anual de 26,3% desde 2017.

 

Artigo anteriorAprenda a fazer o Risoto de Camarão da Marejada
Próximo artigoSete mochilas com 110 tabletes de drogas são encontradas boiando no mar em SC